Hoje, cada vez mais, as escolas procuram métodos de melhorar e implementar modelos mais eficientes para a execução das atividades pedagógicas e administrativas

Nas escolas particulares, em especial, as ferramentas tradicionais têm sido revistas para compor uma estrutura mais competitiva de mercado, acompanhando novas tendências. Nesse sentido, a gestão democrática e participativa na escola surge como uma alternativa aos modelos antigos.

Esse tipo de gestão é, na verdade, uma mudança de pensamento e estrutura hierárquica dentro da instituição de ensino, com base em princípios de ampla participação e transparência nas decisões.

Descubra, na continuação do nosso artigo, o que é a gestão democrática e participativa, além de saber como e por que implementá-la!

O que é gestão democrática e participativa?

A gestão democrática e participativa na escola é mais que uma simples técnica de gerenciamento: é uma inovação importante e mudança na cultura escolar e na forma de se pensar a organização da instituição em suas esferas de decisão pedagógicas e administrativas.

Pode parecer difícil a princípio, pois estamos acostumados com uma hierarquia sólida na estrutura escolar, mas, após o trabalho inicial de implementá-la, a gestão democrática rende excelentes resultados.

Para entendê-la melhor, é preciso compreender que parte de três princípios fundamentais: descentralização, participação e transparência.

Descentralização

O modelo tradicional da gestão escolar é hierárquico e centralizador, na figura do diretor e coordenadores. Uma gestão democrática tende a criar processos para cada área, delegar tarefas e responsabilidades e trabalhar em conjunto com a equipe para tomar melhores decisões estratégicas.

Participação

A participação em uma gestão democrática vai muito além da equipe da escola. Ela engloba toda a comunidade escolar, entre funcionários, alunos e familiares. É possível, também, com um planejamento correto, ampliar isso para a região em que a escola atua, de forma a ouvir também os moradores e comerciantes, por exemplo. A palavra-chave para alcançar a participação é “comunicação”.

Transparência

Uma gestão democrática na escola precisa se pautar pela transparência nos processos, consultas e decisões, mostrando para toda a comunidade que as escolhas foram realizadas a partir de uma série de elementos colhidos ao longo das discussões. A transparência aumenta o nível de confiança na instituição.

Quais os benefícios que ela traz para a escola?

Aplicar uma gestão democrática escolar não é só uma questão de seguir diretrizes educacionais ou de passar uma determinada imagem sobre a escola. Existem diversas vantagens que esse tipo de gestão traz para a instituição de ensino. Confira.

Melhora o rendimento escolar

Uma gestão democrática na escola tende a gerar melhores resultados acadêmicos dos alunos, por visar uma construção conjunta do conhecimento. Nesse sentido, há uma influência grande e direta sobre a forma como é construído o projeto político-pedagógico da escola e as técnicas usadas para ministrar os conteúdos, que ajudam na melhoria do rendimento escolar.

Reduz as insatisfações dos alunos

Como a construção da gestão democrática é em conjunto com toda a comunidade escolar, os alunos ou responsáveis acabam por ter maior participação e têm suas reclamações, críticas e sugestões atendidas, o que leva a uma diminuição nas insatisfações.

Gera maior engajamento

Com maior descentralização das tarefas e responsabilidades, aumento da participação da comunidade escolar e transparência nos processos, todos os envolvidos se sentem parte da instituição, o que eleva o nível de engajamento. O engajamento, por sua vez, é uma excelente forma de conseguir aumentar o número de matrículas e facilita as campanhas de marketing, por exemplo.

Como construir uma gestão democrática na escola?

Sabendo o que é uma gestão democrática na escola e seus principais benefícios, é hora de descobrir que tipo de mudanças são necessárias para implementá-la com sucesso na sua instituição de ensino.

Promova a união da comunidade escolar

Uma gestão democrática é mais que uma mera forma de gerenciamento: é uma mudança na cultura da escola. Para isso, é preciso fazer uso de ferramentas para unir a comunidade e fazê-la mais participativa, como usar as redes sociais, criar eventos, fazer conselhos participativos, promover consultas públicas sobre temas da escola etc.

A união da comunidade escolar é essencial para o sucesso de um modelo de gestão democrática e para alcançar os objetivos traçados. Ou seja, aqui, falamos sobre uma alteração na forma de lidar com os alunos, professores, funcionários e todos que cercam a escola.

Faça um planejamento escolar eficiente

Para uma gestão democrática de sucesso, é preciso um planejamento eficiente criado com a participação de todos. Aqui, entra a criação de um bom projeto político-pedagógico, documento de grande importância para todas as escolas.

O PPP, embora seja uma exigência legal, muitas vezes é feito apenas formalidade, sem considerar sua real utilidade. Quando ele é feito por uma participação em gestão democrática, pode servir para fundamentar os alicerces da escola e ajudar no seu desenvolvimento.

Para além do PPP, um plano de negócios, um projeto pedagógico e a estruturação do funcionamento da instituição em conselhos e colegiados também fazem parte de um planejamento estratégico eficiente para uma gestão democrática.

Crie canais de comunicação eficazes

Uma outra atitude necessária para implementar a gestão democrática na escola é criar canais de comunicação eficazes, que possam servir para melhorar os processos e garantir que todos os membros da comunidade escolar tenham voz.

A internet e as inovações tecnológicas ajudam bastante nisso, com grupos em redes sociais, uso de WhatsApp, comunicação oficial por e-mail, disparo de newsletter e outros. Para além disso, reuniões periódicas e consultas públicas também podem ser canais muito úteis.

Esteja aberto às ideias e opiniões

Para que se possa realmente ter uma gestão democrática, é preciso que a escola esteja aberta às ideias e opiniões de todos que formam sua comunidade. Isso não significa que se deva atender a todas as ideias, mas sim considerá-las nas discussões e verificar sua viabilidade.

Outro ponto importante aqui é que uma gestão democrática lida com críticas positivas e deve tomar cuidados para gerenciamentos de crises. Quando se trabalha dentro da transparência como princípio, as críticas e problemas podem se tornar excelentes oportunidades.

Descentralize as instâncias da escola

Criar conselhos, marcar reuniões gerais oficiais, fazer pesquisas e delegar decisões para colegiados específicos é imprescindível para uma gestão democrática na escola. O poder centralizado na figura do diretor costuma criar uma sobrecarga de trabalho e culminar em decisões menos eficientes.

Como pôde-se ver, uma gestão democrática na escola é mais que uma ferramenta, mas um modelo de gerenciamento que passa por mudanças estruturais na própria hierarquia da instituição. 

Quando bem realizada, pode gerar resultados muito positivos, aumentando o rendimento escolar, a produtividade dos professores e funcionários e a taxa de engajamento da comunidade.

Gostou do nosso artigo? Para acompanhar nosso conteúdo e fazer da sua escola um modelo de ensino, assine nossa newsletter!